domingo, 6 de Fevereiro de 2011

Precedências

No carro com motorista

O lugar de honra é no banco de trás à direita (lado oposto ao do motorista).




O ocupante do lugar de honra entra primeiro pela porta da direita, seguindo do ocupante no 2º lugar, que entra pela porta do lado esquerdo. Se houver necessidade, o terceiro ocupante senta-se à frente ao lado do motorista.
O motorista deve manobrar de modo a que, à chegada, o lado direito do carro fique virado para o local a que o convidado de honra se vai dirigir:
No carro sem motorista o lugar de honra é ao lado do condutor (A):
Se houver necessidade de levar mais alguém no carro, o pior lugar é, obviamente, no meio do banco de trás, por ser o lugar mais incómodo.
A pé

Deve dar-se a direita à pessoa de maior respeito, no caso de serem duas pessoas:

A excepção é andar num passeio de uma rua onde circulem carros. Nesse caso, deve dar-se sempre o lugar mais próximo da parede. Se o passeio for estreito, deve descer para a rua, cedendo o espaço do passeio à pessoa mais importante. Se atravessar para outro lado da rua pode ter de passar a dar a esquerda em vez da direita.

No caso de serem 3 ou mais pessoas em número impar o lugar de honra é o central:
No caso de serem 4 pessoas traça-se uma linha imaginária ao centro e o lugar de honra ficará à direita dessa linha:


Projecto de lista de precedências oficiais

Apesar de a última lista de precedências oficiais ter sido publicada em 1983, o Protocolo de Estado tem-se regido pelo projecto de lista de precedências que, por isso, deve ser apenas utilizado como um documento de consulta até ser transformado num diploma publicado em Diário da Republica.


A ordem de precedências pode ser alterada e, em caso de dúvida, a entidade a consultar é o Protocolo de Estado, no Ministério dos Negócios Estrangeiros.
Existem, por outro lado, as chamadas precedências de cortesia que, não sendo obrigatórias, podem ser respeitadas consoante as circunstâncias e os locais onde decorrem as cerimónias.
Por exemplo, numa cerimónia dentro de uma empresa, o seu presidente pode querer dar precedência ao fundador da companhia. Se isso implicar não colocar outro convidado no lugar que lhe competia, deve explicar-se antecipadamente a razão dessa alteração da ordem das precedências. Uma razão que toda a gente aceita bem é dizer que “como o outro senhor é muito mais velho…”.
Outro caso frequente é haver convidados estrangeiros com categorias equivalentes aos convidados nacionais. Nesse caso é da mais elementar cortesia que os estrangeiros precedam os portugueses.

As executivas e as precedências

No caso de uma mulher executiva, há que recorrer ao senso comum para resolver os problemas protocolares colocados pela igualdade profissional. Por mais que se fale na igualdade e por mais que as feministas lutem por um tratamento igual, a maioria das mulheres continua a aceitar (com agrado) que lhe segurem a porta para ela passar, que a deixem passar à frente, que lhe ofereçam o lugar, etc. Isto continua a ser prática vigente no plano social. Mas também no plano profissional os “privilégios” femininos continuam a ser respeitados.
Dado que na vida profissional ninguém deve, por lei, nem ser prejudicado, nem ser beneficiado em função do sexo, desde que haja diferença hierárquica, a pessoa de nível superior deve passar à frente, independentemente de ser um homem ou uma mulher. E, no caso de se tratar de um visitante, este precede sempre o quadro da empresa.
No entanto, os homens continuam a tratar as colegas com mais deferência e cortesia do que os colegas. E, por isso, em igualdade de circunstâncias – leia-se: mesmo nível hierárquico – a senhora passa à frente.
Claro que, quando o superior faz sinal a outra pessoa para lhe passar à frente, por exemplo, ao chegarem a uma porta, essa pessoa deve fazê-lo sem hesitar, mas agradecendo. Quem tem a precedência é que pode ceder…
Amaral, Isabel. Imagem e sucesso - Guia de protocolo para empresas. Lisboa/São Paulo: Editorial Verbo

1. Responda ao questionário imaginando que trabalha numa empresa e como agiria em cada uma das situações colocadas.
Questionário
1 Nunca é malcriado ou ofensivo dentro da empresa?
a) Nunca                                b) Muitas vezes                                c) Às vezes
 2 As suas maneiras à mesa são idênticas quer se trate de um jantar muito formal ou de um almoço de negócios?
a) Nunca                                b) Muitas vezes                                c) Às vezes

3 Sente que faz parte de uma equipa e esforça-se por promover o espírito de cooperação dentro da sua empresa?
a) Nunca                                b) Muitas vezes                                c) Às vezes

4 Antes de contactar pessoas de outra cultura procura saber se existe um protocolo especial para não as ofender?
a) Nunca                                b) Muitas vezes                                c) Às vezes

5 Mesmo em situações de stress consegue manter um ar calmo e dar ordens sem se exaltar?
a) Nunca                                b) Muitas vezes                                c) Às vezes

6 Costuma devolver as chamadas quando regressa do escritório?
a) Nunca                                b) Muitas vezes                                c) Às vezes

7 Agradece por escrito ou pelo telefone todas as amabilidades que receber, por exemplo, no decurso de uma viagem de negócios?
a) Nunca                                b) Muitas vezes                                c) Às vezes

8 Quando o convite indica R.S.F.F., responde dentro de uma semana?
a) Nunca                                b) Muitas vezes                                c) Às vezes

9 Responde logo às cartas importantes e às outras no espaço de uma semana?
a) Nunca                                b) Muitas vezes                                c) Às vezes

10 Manda e agradece as Boas Festas a tempo?
a) Nunca                                b) Muitas vezes                                c) Às vezes

2. Coloque as respostas no seu blogue.
3. Faça um resumo de poucas linhas sobre: a precedência no carro com e sem motorista; a precedência a pé; as executivas e as precedências.

Sem comentários:

Enviar um comentário